30
08/16

Dirma

30
08/16

Sem palavras.

30
08/16

Modelo nazista é saída para resolver problemas econômicos do país, diz Requião.

O senador Roberto Requião (PMDB) revelou alguns dos seus pontos de vista em entrevista ao jornalista Josias de Souza publicada no UOL. Requião disse considerar “fácil” a resolução dos problemas econômicos do país. A saída, segundo ele, seria seguir o modelo nazista de desenvolvimento.

Diz Requião: “Sou um admirador de um alemão que foi esquecido no mundo porque trabalhou com Hitler. Chamava-se Hjalmar Horace Greeley Schacht [ministro da Economia no governo nazista]…Quando entregaram a economia da Alemanha para ele, começou dizendo que a Alemanha só comprava de quem comprasse dela. Protecionismo absoluto. Ele enfrentou a banca…Simples. Isso já aconteceu em outros lugares do mundo. Não é uma impossibilidade”, disse o senador.

Na entrevista, Requião dá sua “receita” para que Dilma consiga os votos necessários a ela no processo de impeachment no Senado: fisiologismo. “A Dilma, então, precisa de mais sete senadores. E ela tem a República inteira para negociar com a fisiologia esclarecida”, afirmou.

O senador também não negou sua predileção por vinhos bons e caros, presentes de empreiteiros e outros amigos de ocasião. Segundo ele, os mimos são aceitos como “regra” desde sua primeira passagem pela prefeitura de Curitiba. “Daí eu estabeleci uma regra: aceito presente, desde que sejam duas garrafas de vinho ou um livro. Livros ganhei muito poucos. Ganhei vinhos maravilhosos. Tenho até hoje uma adega fantástica em casa, remanescente disso.”

 

Fonte: Fábio Campana

 

SEM COMENTÁRIOS

JJ

30
08/16

Morreu Gene Wilder.

+

+

O ator Gene Wilder,  conhecido por filmes como O Jovem Frankenstein (1974) e A Fantástica Fábrica de Chocolate (1971) morreu aos 83 anos, segundo informou sua família à agência Associated Press. Segundo Jordan Walker-Pearlman, sobrinho do americano, o ator morreu no domingo em sua casa em Stamford, no Estado de Connecticut, em decorrência de complicações do Alzheimer.

Em um comunicado, seu sobrinho falou sobre o tio. “Entendemos que apesar de todos os desafios emocionais e físicos que essa situação nos trouxe, estivemos entre os sortudos – essa doença, ao contrário do que acontece em muitos casos, nunca tirou a habilidade dele de reconhecer aqueles que eram próximos dele”, disse.

“A decisão de esperar até este momento para divulgar sua condição não foi tomada por vaidade, mas para que as inúmeras crianças que dariam um sorriso ou o chamariam de ‘Willy Wonka’ não tivessem que ser expostas a uma referência adulta de uma doença ou problema, fazendo com que a alegria fosse substituída por preocupação, desapontamento ou confusão. Ele não poderia suportar a ideia de um sorriso a menos no mundo”, afirmou. Segundo Walker-Pearlman, o ator continuou a apreciar “arte, música e beijos com sua mulher, Karen”, com quem esteve nos últimos 25 anos.

Wilder começou sua carreira na Broadway, onde fez várias peças, como One Flew Over the Cuckoo’s Nest e Dynamite Tonight, mas ficou famoso por sua parceria com o ator e diretor Mel Brooks no cinema. Os dois se conheceram em 1963 por intermédio de Anne Bancroft, que estrelou a peça Mother Courage and Her Children na Broadway com Wilder e se casou com Brooks no ano seguinte. O primeiro projeto dos dois foi o longa Primavera para Hitler (1967), roteirizado e dirigido por Brooks e pelo qual Wilder recebeu sua primeira indicação ao Oscar, por melhor ator coadjuvante.

Os dois atores também fizeram juntos O Jovem Frankenstein (1974), que rendeu à dupla uma indicação ao Oscar de melhor roteiro adaptado. A parceria de Wilder e Brooks ainda resultou no filme Banzé no Oeste (1974), indicado a prêmios em três categorias no Oscar: melhor atriz coadjuvante para Madeline Kahn, melhor edição e melhor canção original.

Outro grande papel de Wilder foi no filme A Fantástica Fábrica de Chocolate, em que o ator interpretou Willy Wonka, dono de uma fábrica de doces que encantou gerações. Segundo o site da revista The Hollywood Reporter, Fred Astaire e Joel Grey estavam cotados para o longa, mas o diretor Mel Stuart quis Wilder no papel, que, em 2005, seria de Johnny Depp, no remake que Tim Burton fez da produção.

Outra grande parceria de Wilder foi com o ator Richard Pryor, com quem ele trabalhou nas comédias O Expresso de Chicago (1976) e Loucos de Dar Nó(1980) – dois sucessos de bilheteria – e Cegos, Surdos e Loucos (1989) e Um Sem Juízo, Outro Sem Razão (1991) – que não foram tão bem recebidos como os primeiros.

Ao lado de sua terceira mulher, Gilda Radner, o ator estrelou A Dama de Vermelho (1984), filme que o americano também dirigiu. A atriz, porém, morreu poucos anos depois, em 1989, em decorrência de um câncer de ovário, e a perda abalou Wilder profundamente. Ele passou, então, a trabalhar pela conscientização da doença, ajudando a fundar o Centro de Identificação de Câncer de Ovário Gilda Radner, em Los Angeles.

Desde essa época, ele passou a trabalhar em novos projetos de maneira irregular – fez alguns longas e alguns filmes para a TV, além de participações em seriados. Em 2003, ganhou um Emmy por uma participação no seriado Will & Grace. Ele voltou a se casar em 1991, com Karen Boyer.

Gene Wilder no filme "A Fantástica Fábrica de Chocolate", de Mel Stuart.

Fonte: Veja

+

COMENTÁRIO

Eu era fã dele. Um fantástico ator e humorista.

O cinema fica mais pobre, sem Wilder.

JJ

+

 

30
08/16

Lições de um grande empreendedor.

O empresário Jorge Paulo Lemann em entrevista

O empresário Jorge Paulo Lemann falou sobre as lições que aprendeu como empreendedor

+

O empresário brasileiro Jorge Paulo Lemann, um dos homens mais ricos do país, esteve hoje no evento Day 1, promovido pela Endeavor, e falou para uma plateia de empreendedores sobre os ensinamentos que tirou de momentos difíceis de sua vida.

“A maioria das pessoas olha a carreira de um empresário, vê o sucesso, e acha que se chega lá com facilidade. O empresário aparece se ele foi bem sucedido ou se ele faliu. Mas o que está no meio, as dificuldades, não aparece”, afirmou.

Lemann disse, então, que espera que os empreendedores brasileiros “não desanimem”, e fez um pedido especial aos empresários com filhos. “Os pais educam os filhos para que dê sempre tudo certo. E esquecem que, fazendo besteira, burrada, se aprende muita coisa também. Deixem os filhos fazerem burradas”, aconselhou o empresário.

Na palestra, Lemann lembrou de momentos difíceis de sua vida, dos quais ele tirou lições importantes para sua carreira.

1 – Saiba perder

A primeira lição, que ele aprendeu ainda criança, foi se acostumar a perder. “Eu jogava tênis e, com nove anos, perdi para o meu grande rival na época. Com 11 anos, perdi para um boliviano. Isso me preparou para perder. Toda vez eu analisava porque tinha perdido e tentava me preparar para a próxima vez. Também entendi que sem esforço não tem resultado”, lembra.

2 – Tenha foco

A segunda lição veio quando Lemann foi estudar em Harvard. O empresário descreve a si mesmo na época como um “tenista, surfista, que que nunca tinha estudado muito”. “No primeiro ano, soltei uns fogos no Harvard Yard e quase fui expulso. Percebi que precisava encontrar uma maneira de concluir o curso”, conta.

O jeito para Lemann foi desenvolver uma técnica para focar nos estudos, pela qual ele elegia sempre cinco pontos básicos de uma matéria, aos deveria se dedicar. O método o ajudou a concluir a faculdade e o acompanha até hoje. “Minhas empresas têm sempre cinco metas básicas.”

3 – Procure pessoas diferentes de você

Outro momento decisivo foi quando ele se uniu com outros empresários para abrir uma financeira. “Éramos pessoas das melhores faculdades americanas, e montamos uma financeira. Meus sócios eram mais velhos e mais experientes do que eu. Resultado: falimos em quatro anos. Aquilo foi um baque colossal”, lembra. A lição que ficou deste momento foi: uma empresa não deve ter apenas pessoas parecidas com você.

4 – Aproveite as oportunidades

Lemann também tirou aprendizados importantes de sua experiência com o banco de investimentos Garantia. A empresa foi comprada pelo investidor quando ainda era uma pequena corretora. “Ía ser a melhor corretora de bolsa do Brasil. Um mês depois que compramos, a bolsa despencou e acabou o negócio que pretendíamos fazer”, lembra.

Com isso, a empresa precisou se reinventar e acabou aproveitando uma oportunidade surgida pouco depois, com as ORTNs (Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional). “Passamos a ser os grandes operadores de ORTN, foi uma oportunidade enorme para nós, e não foi o que planejávamos. A coisa nunca é uma linha reta”, conclui Lemann.

Já que o tema da palestra era “dificuldades”, o investidor aproveitou para comentar a situação do país hoje — e foi otimista. “Hoje, no Brasil, vejo todo mundo reclamando. Mas o que eu enxergo são as oportunidades. Estamos passando por dificuldades, mas vamos aprender e vamos superar. Aprendam, como eu aprendi, com esses pequenos fracassos. É isso que vai salvar o Brasil”, concluiu.

 

Fonte: Exame

30
08/16

Artplan passa a atender à Coca-Cola.

A Artplan anunciou seu mais novo cliente: a área de Relações Corporativas da Coca-Cola Brasil. A equipe da agência já está dedicada aos novos trabalhos que comunicarão as iniciativas da empresa. Não houve concorrência.

 “Conquistar um cliente com representatividade mundial como a Coca-Cola nos orgulha muito”, disse Rodolfo Medina, presidente da Artplan.

 A agência comemora a conquista somada a outras desse ano como Melitta, Etna, Cultura Inglesa, HughesNet, Laboratórios Dasa e, mais recentemente, as campanhas digitais de proteção Solar das marcas Anthelios, da La Roche-Posay e Capital Soleil, da Vichy (Grupo L’Oreal do Brasil, cliente já atendido pela agência via marca Niely).

Fonte: propmark

30
08/16

Globo transmitirá séries e filmes da Warner Bros.

distribuidora Warner Bros. International Television e a Globo firmaram um contrato de longo prazo para exibição de filmes e séries em TV aberta. A novidade foi anunciada nesta segunda-feira por Jeffrey R. Schlesinger, presidente da Warner Bros. International Television, e Carlos Henrique Schroder, CEO da Globo.

O contrato inclui os direitos de exibição de longas-metragens de sucesso como “Sniper Americano”, “Mad Max: Estrada da Fúria”, “Batman Vs. Superman – A Origem da Justiça”, assim como as séries de televisão da Warner Bros. Television “Gotham”, “The Flash” e “Supergirl”.

“Os amantes do cinema se beneficiarão especialmente desse contrato porque teremos os maiores sucessos de bilheteria do cinema mundial”, afirmou Schroder em comunicado à imprensa. Atualmente, a Globo transmite aproximadamente 900 longas-metragens e séries de TV por ano. Já a Warner Bros. International Television Distribution licencia mais de 6.500 longas e 3.000 programas de televisão para emissoras de TV aberta e a cabo em mais de 175 países.

Fonte: Meio e Mensagem

P

30
08/16

Esporte Interativo e EI Maxx agora também na Sky.

Turner anunciou a chegada de seus canais esportivos à grade da Sky. A partir de 13 de setembro, a operadora recebe o Esporte Interativo, o EI Maxx e o EI Maxx 2. O acordo encerra uma longa negociação com as maiores empresas de distribuição de TV por assinatura, desde que a Turner adquiriu a operação do Esporte Interativo, em janeiro do ano passado.

A inserção desses canais nas grades das operadoras criou grande polêmica, que se intensificou após a programadora adquirir os direitos exclusivos de exibição da Liga dos Campeões em TV paga. Em dezembro, a Turner conseguiu fechar acordo com a Net.

Além do badalado campeonato interclubes europeu, a Turner também exibe Europa League, Copa do Nordeste, Série C do Campeonato Brasileiro, futebol americano, competições de lutas, documentários e notícias. Em abril deste ano, anunciou acordo de exibição de jogos de times como Atlético Paranaense, Coritiba, Ceará, Internacional, Ponte Preta e Santos no Campeonato Brasileiro a partir de 2019.

Fonte: Meio e Mensagem

30
08/16

Caras negocia devolução de revistas à Abril.

A Editora Caras está negociando a devolução de títulos de revistas para a Abril. Nos últimos dois anos, a empresa incorporou várias marcas, assim como suas redações, e assumiu a responsabilidade pela produção de conteúdo e venda de publicidade. Enquanto passava por “profunda transformação”, a Abril optou por vender diversas de suas publicações, tocando apenas os serviços de assinatura e distribuição gráfica.

contigo-placar+

Agora, as companhias anunciaram que começaram as negociações para que as revistas voltem para casa. Ainda não se sabe quando e quais revistas serão reincorporadas pela Abril, mas ao todo, 17 títulos originais da editora foram transferidos para a Caras recentemente: Aventuras na História, Bons Fluidos, Manequim, Máxima, Minha Casa, Minha Novela, Recreio, Sou+Eu, Vida Simples, Viva Mais, Placar, Anamaria, Arquitetura & Construção, Contigo, Tititi, Você RH e Você S/A.

Com o rearranjo no portfólio, as duas empresas visam aumentar sua parceria e fortalecer as marcas de ambas. O acordo, que já está sendo discutido, vai rever detalhes definidos sobre a produção, circulação, impressão, venda de publicidade e assinaturas das revistas. Ainda não foram confirmados quais títulos efetivamente serão realocados.

Em 2015, a Abril promoveu diversas reformulações: a Exame PME, por exemplo, foi “incorporada” à Exame, a Capricho deixou de figurar em bancas de jornal para aparecer somente em plataformas online e o Guia Quatro Rodas também teve a circulação descontinuada. As mudanças resultaram em demissões de jornalistas e nova sua nova divisão estrutural da companhia, que passou a atuar em três frentes: conteúdo, marketing e geração de receitas.

Fonte: Comunique-se

Página 5 de 4.063Primeira...4567...1015...Última