21
03/17

Chega! Basta de políticos canalhas!

Incompetentes para tornar seus Partidos auto-suficientes, com a adesão de afiliados, os políticos brasileiros do Congresso Nacional querem transformar o Fundo Partidário de absurdos 840 milhões de reais em aviltantes 3 bilhões de reais de dinheiro público.

Isto corresponde a 2% do PIB, que poderiam ser investidos em ações úteis para o povo brasileiro. Jamais para sustentar este banco de canalhas que só faz atrasar nosso desenvolvimento nacional, com chantagens em cima de chantagens.

Com raras exceções, os deputados federais e senadores brasileiros não trabalham para o povo que os elegeu. Trabalham só para si próprios. Para seus interesses, ganhar dinheiro e se reeleger sempre.

Agora querem, também, que os brasileiros não possam escolher seus candidatos pelo voto direto. Quem uma Lista de Partido, na qual agasalharão quanto mais canalhas melhor. Buscam uma forma de manter o Fôro Privilegiado (se não for extinto –  o que duvido) e se proteger dos processos da Lava Jato, que alcançarão a muitos deles.

Se tiver que votar em Lista Negra prefiro não votar ou anular meu voto.

Não vou manter esta cambada de sem-vergonhas em Brasilia com a minha concordância. Sugiro que todos façam o mesmo. E que protestem como puderem: nas ruas, nas redes sociais, em Brasília e em cada cidade brasileira.

Vamos fazer ouvir a nossa voz, novamente!

Chega! Basta de manter este bando enorme de corruptos na nossa vida pública!

JJ

21
03/17

Qual é o problema deste país?

Tem carne podre, tem a mídia burra e irresponsável que diz que ácido ascórbico é cancerígeno, tem papelão no frango, tem mercúrio no peixe, tem picanha vencida, tem linguiça feita com carcaça de frango, tem agrotóxico proibido nas verduras, tem coliformes fecais na água, tem soda cáustica no leite, tem milho transgênico na cerveja, tem óleo de soja no azeite “extra-virgem”, tem cevada no café, tem propinoduto, tem mensalão, tem rede 3G que nao funciona, tem o iPhone mais caro do mundo, tem analfabeto legislando, tem merenda escolar roubada, tem água de poço engarrafada, tem botijão a gás com menos volume do que informa, tem medicamento genérico sem controle de qualidade, tem airbag que não abre, tem recall de automóveis mal feitos, tem bomba de combustível fraudada, tem gasolina adulterada, tem máquina de cartão de crédito grampeada, tem cartão de crédito clonado, tem SMS do Ceará informando que você acaba de ganhar uma casa do Faustão naquele sorteio feito na penitenciária de Fortaleza, tem uso de celular na cadeia, tem médico que falta no emprego e falsifica o ponto, tem superfaturamento nas obras públicas, tem papel colado na placa do carro para burlar o rodízio, tem DVD pirata, tem empregado processando patrão para extorquir dinheiro, tem empregador que não respeita o funcionário, tem saques em lojas na greve da polícia, tem juiz que não respeita as regras de convivência comuns, tem saque de carga de caminhões acidentados, tem goleiro Bruno libertado, já empregado e dando autógrafos, tem desrespeito à cancela do pedágio, tem desrespeito às vagas de estacionamento, tem quadrilhas trevestidas de partidos políticos, tem o bandido que manda na polícia, tem a suprema corte incompetente e corrupta, tem aquele que atropela e foge, tem o Estado que tenta atrapalhar a tua vida, tem o Estado que te rouba, tem o Estado que exige coisas que ele mesmo não cumpre, tem a falta de profissionalismo, tem o parasitismo, tem a falta de seriedade e comprometimento,
tem a falta de planejamento, tem falência ética da classe política, tem falência ética de funcionários públicos, tem falência ética do cidadão comum.

Este território, que insistem em chamar de país, é uma farsa.

Você ainda acha que o problema é a carne adulterada?

O problema é o CARÁTER sistemicamente adulterado.

Qual vai ser o próximo escândalo?


 

“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.”

_Ruy Barbosa


Leandro Moura

21
03/17

A imagem pode conter: texto

21
03/17

House of Card no Paramount, para atrair assinantes para o Netflix.

<p>
	House of Cards (Reprodu&ccedil;&atilde;o)</p>

Série original da Netflix, a ótima “House of Cards” chegou à TV linear, pelo canal Paramount. Se você ainda não conhece Frank Underwood, essa é sua chance. O primeiro episódio da primeira temporada foi ao ar com sinal aberto para todos os assinantes (canais 158 SD e 658 HD) nas operadoras NET HDTV  e Claro HDTV. Sempre às sextas-feiras.

Num caminho inverso ao que estamos habituados a ver, uma produção original de um serviço de streaming vai parar na TV linear. Não é a primeira vez, claro, mas é incomum. Há cerca de dois anos, a FOX pratica essa mesma migração com os esquetes do Porta dos Fundos, mas essa será a primeira produção original da Netflix a chegar a um canal de TV no Brasil – isso já ocorre em outros cantos do planeta, sendo que nos EUA e na França, só para citar dois exemplos, inclui até estreias simultâneas nas duas plataformas (TV e streaming). Por aqui, isso ainda está longe de acontecer. Na Netflix, Frank e Claire Underwood desembarcam novamente em 30 de maio com mais 13 episódios inéditos, já na 5ª temporada.

Ao abrir mais uma sintonia para o super enredo político da Casa Branca, nesses dias de Donald Trump, a Netflix alimenta também uma chance de ganhar novos assinantes, na esperança de que busquem as demais temporadas na sua plataforma, onde tudo está disponível, à espera da 5ª safra da saga.

Com Kevin Spacey e Robin Wright, “House of Cards” aborda o universo político norte-americana, expondo a manipulação do poder.

Confira mais sobre TV e outras telas em TelePadi

Fonte: Adnews

21
03/17

Cinco tendências que irão nortear a indústria de pagamentos em 2017.

A indústria de tecnologia de meios de pagamento já é uma das mais impactadas pelas mudanças que o consumo digital trouxe ao mundo e no dia-a-dia das pessoas. Estamos numa fase de transição e, períodos como esses, são determinantes para definir quais serão as empresas líderes do novo cenário econômico que se desenha. Dentro disso, o ano de 2017 será de extrema importância para as empresas que desejam protagonizar essa transformação. A Visa é uma delas. Listei aqui as principais tendências globais que quebrarão paradigmas e revolucionarão o setor de meios de pagamentos eletrônicos no Brasil.

1.       Inovação Aberta

É crucial que as empresas estejam preparadas para trabalhar inovação de forma aberta, construtiva e colaborativa, seja por meio de compartilhamento de APIs ou pela implantação do método de design thinking no dia a dia dos negócios.  Soluções são criadas em conjunto para fomentar o desenvolvimento da indústria.

2.       As startups

No mundo digital e mutante em que vivemos, a qualquer momento um novo serviço com um formato disruptivo pode surgir e acabar com décadas de tradição e de liderança. Basta ver exemplos de serviços digitais como Uber, Spotify e Netflix. Parceiros não tradicionais da indústria, como as startups e os desenvolvedores, são de extrema importância quando o assunto é inovação, e devem estar conosco na discussão e na implementação de novos produtos. O relacionamento com startups é primordial quando falamos em co-criação de novas soluções do futuro dos meios de pagamento eletrônicos.

3.       A Internet das Coisas (IoT)

Este é outro assunto que parece batido, mas não perdeu a força. IoT deve cada vez mais tomar conta de nossa agenda. Estudo da Gartner mostra que 20 bilhões de dispositivos conectados deverão estar inseridos na economia global até 2020. Transformá-los em meios de pagamento convenientes e seguros será um de nossos desafios, para que o consumidor final continue contando com a agilidade que o tradicional plástico oferece há mais de 60 anos. A tokenização é uma das chaves que habilitará a segurança nesses dispositivos.

4.       Comércio Eletrônico

Sei que já ouviram isso, mas não tem como não falar deste tema. Isso exigirá formas de pagamento ainda mais simplificadas e seguras para permitir que mais consumidores se rendam à conveniência e facilidade do comércio eletrônico e evitar que abandonem o carrinho no meio das compras virtuais. É preciso buscar e disseminar soluções para facilitar o processo de pagamento no comércio eletrônico e consequentemente ajudar a incrementar o faturamento dos estabelecimentos comerciais com segurança. Esse ano, veremos também mais lojas virtuais oferecendo a possibilidade de pagamento por débito, o que irá incluir milhares de pessoas que só utilizam essa forma de pagamento em suas carteiras de clientes.

5.        Programas de fidelidade

Os programas de fidelidade ganharão ainda mais atenção em 2017. A fidelização de consumidores é uma das prioridades das empresas, sejam estabelecimentos comerciais, bancos ou companhias aéreas. Nosso desafio, como indústria, é oferecer serviços para que esses programas desenvolvam soluções ainda mais simples, flexíveis, de fácil implementação e gestão, e que permitam a interação com o consumidor em tempo real.

O mundo está tão dinâmico que, provavelmente, novas tendências sejam colocadas nessa lista ao longo do ano. Mas, nesse momento, se fosse para resumir, diria que a expressão chave que está atrelada a todos os cinco pontos listados é a “Human Centered Design”. Cada vez mais, as inovações serão desenhadas para solucionar a dor do consumidor de nossos clientes, ou seja, os emissores de cartão e comércios. Esse produto ou serviço será construído a quatro, seis, oito, quantas mãos forem necessárias, com pessoas de diferentes funções e diferentes hierarquias. Se não der certo, a indústria como um todo aprenderá rapidamente com os erros e partirá para a próxima tentativa, sem insistir no erro, e com custos menores. O importante é estar atento e preparado. Se o mundo está em transição, sejamos, então, o agente protagonista dessa mudança.

.

Fernando Teles, Country Manager da Visa do Brasil

Fonte: Comunique-se

21
03/17

Curitiba perde a rádio Lumen FM.

COMUNICADO

Durante 12 anos, a Rádio Lumen FM cumpriu seu papel de disseminar cultura, boa música e informação, tornando-se referência de qualidade na Comunicação, reconhecida e prestigiada pela sociedade. Apesar da bela trajetória da emissora, novos passos precisam ser dados.

É com um enorme agradecimento a todos que colaboraram com a construção dessa história que anunciamos a descontinuidade da Rádio Lumen FM. A partir de maio, a frequência será transferida para a Associação Evangelizar É Preciso. A decisão leva em consideração o planejamento estratégico do Grupo Marista, que busca concentrar os esforços nas frentes de educação.

A mudança respeitou todos os trâmites legais e teve parecer favorável do Ministério Público do Paraná.

A todos que, de alguma forma, acompanharam a consolidação da emissora, deixamos o nosso muito obrigado e as boas lembranças de tudo que foi transmitido ao longo desses anos.

Lumen FM

21
03/17
21
03/17

#Tempestade #tempo #fase:

20
03/17

Exemplo: The Guardian agradece apoio de leitores que pagam pelo bom jornalismo.

Katharine Viner, editora geral do The Guardian, afirmou em editorial essa semana que o jornal finalmente conseguiu encontrar um modelo de negócios sustentável depois da queda no volume de publicidade. Viner agradeceu o apoio de mais de 200 mil membros associados, mais 185 mil assinantes e o restante que vêm comprando o jornal nas bancas de jornais “com maior frequência do que o esperado”.

“Depois de dar feedback a inúmeros de leitores que se disseram dispostos a apoiar financeiramente o jornalismo do Guardian, também recebemos cerca de 160 mil contribuições espontâneas de várias partes do mundo”, escreveu a editora.

O modelo criado conta, portanto, a contribuição de membros/sócios, há os assinantes, os compradores do jornal em bancas e os colaboradores eventuais, que fazem contribuições financeiras pontuais. As doações podem ser, por exemplo, de 5 a 7 libras por mês.

“Você vem dando apoio financeiro crucial para garantir o jornalismo independente, e mostra o quanto valoriza a reportagem justa e factual baseada nos nossos valores progressistas e liberais. Isso é mais importante do que nunca”, declarou Katharine.

O jornal reafirmou suas crenças na tolerância, na igualdade e na capacidade das pessoas de mudar o mundo para melhor.

“Ao apoiar nossas crenças, nossos leitores significam muito mais para nós do que somente dinheiro”, escreveu a editora, que lembrou algumas coberturas recentes que, em sua visão, contribuiram positivamente para o debate global. Como a reportagem sobre os eleitores de Donald Trump que, por não acompanharem as notícias, acreditaram que o novo presidente teve uma primeira semana de trabalho tranquila e feliz. A reportagem se transformou numa grande série, intitulada “Can Trump really make America great again?”. O Brexit também está no centro das atenções do Guardian, com a colaboração de colunistas ilustres como Stephen Hawking. Uma série chamada “The New Arrivals” acompanha as vidas de refugiados que se instalam em diferentes partes da Europa, um projeto de 500 dias.

Depois de citar inúmeros projetos jornalísticos da publicação, Katharine diz que o plano é ter, em abril de 2019, 1 milhão de membros/associados.

“A situação da publicidade se mantém delicada, e no caso do Guardian caiu 11 milhões de libras no último ano. Para cada novo dólar gasto em publicidade nos EUA, 99 centavos vão para Facebook e Google. Mais pessoas lêem o Guardian do que nunca e nos parece importante que nosso jornalismo independente, investigativo e de interesse público tenha o maior alcance possível, mas menos pessoas estão pagando por ele. Por isso, obrigada pelo seu apoio ao jornalismo. E, por favor, conte para sua família e  amigos”, concluiu a editora.

Fonte: Propmark

COMENTÁRIO

Exemplo a ser seguido pelos bons jornais brasileiros – que não são muitos. Leitores associados, que pagam pelo bom jornalismo, nas assinaturas e nas bancas – e podem ter participação nos lucros da empresa. Por que não?

JJ

Página 15 de 4.598Primeira...510...14151617...2025...Última